Upskill Platform

Como liderar uma equipe de alto desempenho

Aprenda como colocar em prática as estratégias e as ferramentas mais atuais para liderar uma equipe de alto desempenho.

Como liderar uma equipe de alto desempenho

Você considera sua equipe muito dependente de você? Falta autonomia e proatividade? O desempenho fica a desejar?

Já pensou que isso pode ser um reflexo do seu próprio comportamento? Observou se você está controlando a lista de tarefas e de prioridades dos liderados? Ou você tem o hábito de compartilhar e atualizar a visão estratégica, os objetivos e as metas da empresa? Você pede que eles ajudem a traçar o plano de ação, valorizando suas melhores habilidades?

Compartilhe a visão e a responsabilidade com a equipe

Quando você compartilha a responsabilidade para que cada colaborador tenha que pensar em seu papel dentro de determinado projeto ou processo, ele terá que se esforçar para sair da inércia reativa de fazer o que lhe pedem e elaborar uma resposta única que verdadeiramente contribua para alcançar os resultados que o grupo precisa gerar para a empresa cumprir seu propósito.

O líder tende a ter uma visão mais ampla do que cada membro da equipe, porque normalmente tem mais acesso a informações estratégicas do negócio. Mas guardar informações para si e ficar pressionando os liderados para fazer suas tarefas sem conectar com os objetivos do grupo, desengaja e causa desmotivação para o trabalho.

Por outro lado, se o líder compartilha esta visão, traduzindo para a equipe o que ela significa para sua área de atuação, cada um se sente responsável por dar seu melhor para alcançar as metas que vão conduzir o negócio aos seus objetivos e fazer todos crescerem juntos. E, assim, cada um também sente que contribui de maneira única para o alcance das metas, sentindo-se valorizado como parte fundamental do grupo.

Dê autonomia, domínio e propósito à equipe

Como diz Jeff Sutherland e J.J. Sutherland, no seu livro Scrum – A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo, o que faz as pessoas felizes e constrói grandes equipes são: “autonomia, domínio e propósito. Ou seja, “é a capacidade [de cada indivíduo] de controlar o próprio destino, a sensação de estar melhorando em alguma atividade e de estar servindo a algum propósito maior“. “Em todas as equipes excelentes, os integrantes têm a oportunidade de decidir COMO alcançar as metas estabelecidas por quem comanda a organização.”

Transparência aumenta a agilidade e a eficiência da equipe

Um dos princípios que Sutherland considera necessário para ser possível ter equipes de alto desempenho é a transparência. “A equipe pode se organizar para enfrentar problemas que se tornam óbvios porque tudo é transparente”. 

É verdade que a cultura da transparência não é tão fácil de ser implementada quando a empresa começa a crescer rápido, ou se a empresa já tem um porte muito grande e o padrão de comportamento organizacional é manter o sigilo. Nesses casos, é preciso implementar uma mudança comportamental que levará tempo para se tornar o jeito das pessoas trabalharem, mas que pode ser promissor no sentido de facilitar a liderança e aumentar a agilidade e a eficiência das equipes.

Transparência em grandes corporações

Em se tratando de transparência em grandes empresas, temos o exemplo de Ray Dalio, autor do livro Princípios (entre outras obras) e fundador da Bridgewater Associates, que é uma das maiores empresas de investimentos do mundo. O 8o. princípio que Dalio implementou em suas empresas para alcançar o sucesso financeiro e profissional, foi o da transparência radical, que significa dar aos colaboradores a possibilidade de dizer o que elas realmente pensam; inclusive dar feedbacks construtivos aos líderes publicamente.

Não quer dizer que sua empresa precisa copiar o que ele fez, mas ele é um exemplo de implementação bem sucedida da transparência caso sua organização seja de médio ou grande porte.

Autogestão e autorregulação das equipes

Segundo Suttherland, as melhores equipes são autônomas, o que significa que “são auto-organizadas e se autogerenciam. Podem decidir como executar o trabalho e têm o poder de fazer com que suas decisões sejam cumpridas”. E elas conseguem se autorregular porque sabem o que está sendo feito pelos colegas, sejam do mesmo departamento ou de outro com quem precisam trabalhar em sinergia. Para isso, é preciso ter uma ferramenta onde as tarefas vão sendo acompanhadas e a informação atualizada; e é preciso que as pessoas se comprometam em atualizar essas informações.

Crie oportunidades para conexões significativas

Além da transparência, a conexão significativa entre as pessoas permite que um colega se interesse pelo outro em nível pessoal e não só profissional e haja reciprocidade em pedir e oferecer ajuda quando necessário. Para que isso aconteça, é preciso que a liderança crie oportunidades para esses colegas conversarem e interagirem em situações fora do dia a dia de trabalho. Momentos em que a diversão e a descontração sejam o foco principal. 

Em equipes remotas e híbridas, torna-se ainda mais importante que a liderança organize eventos presenciais, ainda que sejam dias de atualização e alinhamento de metas e propósito, e até mesmo reuniões de colaboração para iniciar novos projetos. Além, claro, de eventos sociais, que deem oportunidade de conversas descontraídas e mais pessoais.

Sentir que a pessoa com quem trabalha se interessa por seu bem-estar e satisfação além do seu desempenho no trabalho, promove segurança, cria laços de confiança e provê suporte emocional quando algo não vai bem na vida pessoal de alguém, evitando grandes quedas no desempenho do grupo.

Conclusão

Por fim, esses são os princípios fundamentais para criar e liderar uma equipe de alto desempenho:

  • dar poder para que os liderados tomem decisões – decidam como vão contribuir para o alcance das metas e objetivos,
  • criar uma cultura de transparência, em que todos podem acessar e/ou pedir as informações que precisam para realizar suas tarefas,
  • compartilhar a visão estratégica, para onde o negócio está indo, bem como as metas que precisam ser alcançadas para chegar lá, 
  • criar um ambiente de trabalho e oportunidades de conexão significativa entre os colegas, para que estejam mais motivados a trabalhar de maneira colaborativa e possam se autorregular sem causar conflitos.

O que você vai começar a aplicar hoje para melhorar o desempenho de sua equipe?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Summary

Newsletter

Assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado.

Últimos artigos

fit cultural
Liderança do futuro
Aline Daher

Fit cultural inclusivo: para além do recrutamento

Fit cultural é um termo que se aplica, normalmente, ao alinhamento de um candidato a determinada vaga, no processo de seleção de uma empresa. No entanto, quando restringimos esta prática à entrevista de seleção de um novo colaborador, podemos estar ignorando o fato de que a cultura organizacional sofre mudanças ao longo da história de uma empresa, e que seus colaboradores e políticas precisam se adaptar, do contrário, seria necessário trocar todas as equipes a cada mudança de cenário.

Saiba mais »
equipes
Human-Centric Work Design
Aline Daher

Mude a maneira como suas equipes são lideradas

Loud quitting, quiet quitting, lazy job, coffee badging estão desafiando as empresas a manter a produtividade e performance dos times e do negócio, num ambiente de trabalho remoto ou híbrido. No entanto, é certo que o comportamento das pessoas mudou, impulsionado pela pandemia e consolidação de um mundo híbrido, seja para viver, consumir, como para trabalhar.

Saiba mais »

Agende uma demonstração

Desenvolva sua equipe, faça sua empresa crescer